“Tecnologias de Baixa Emissão de Carbono: Fortalecendo a Convivência com o Semiárido” é novo curso ofertado pela Univasf

prscaatinga | 15 de março de 2021

Portal da universidade destaca início do novo curso de especialização lato sensu no pŕoximo dia 18

Por: Renata Freitas, Asessoria de Comunicação, Univasf, em 12/03/2021 (matéria original)

A Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf) dará início, a partir do próximo dia 18 de março, às atividades letivas do curso de “Tecnologias de Baixa Emissão de Carbono Fortalecendo a Convivência com o Semiárido”, que reunirá 150 extensionistas rurais de cinco estados do Nordeste. A ação acontece por meio de uma parceria entre a Univasf e a Fundação Brasileira para o Desenvolvimento Sustentável (FBDS), no âmbito do Projeto Rural Sustentável (PRS) Caatinga. O curso será executado com apoio dos Programas de Pós-Graduação em Agroecologia e Desenvolvimento Territorial (PPGADT) e em Extensão Rural (PPGExR), sob a coordenação da Pró-Reitoria de Extensão (Proex) da Univasf.

A criação do novo curso foi aprovada na reunião ordinária do Conselho Universitário (Conuni), realizada no dia 26 de fevereiro, conforme Decisão Nº 21/2021. Na próxima quinta-feira (18), às 19h, será realizada a Aula Inaugural e, na segunda-feira (22), terão início as aulas teóricas, que ocorrerão de forma remota, em sistema modular. O curso tem carga horária total de 450 horas, das quais 390 horas são de aulas teóricas e práticas e outras 60 dedicadas à elaboração da monografia. Os docentes integram o quadro do PPGADT e do PPGExR.

O curso de “Tecnologias de Baixa Emissão de Carbono Fortalecendo a Convivência com o Semiárido” visa especializar profissionais que atuam como extensionistas nas comunidades rurais em tecnologias e práticas destinadas à Agricultura de Baixo Carbono. Os discentes serão familiarizados sobre novos modelos alternativos voltados à preservação ambiental, o planejamento participativo e a construção de um projeto de sociedade que valorize as populações do campo e as suas tradições, complementadas com os saberes gerados na academia.

A seleção dos discentes da primeira turma ocorreu a partir dos resultados dos estudos realizados pelo PRS Caatinga sobre a oferta de serviços e de formação em Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER) e orientações dos membros do Comitê Técnico Territorial (CTT) do Projeto. Foram selecionadas 150 entidades de prestação de serviços de ATER, que, após receber uma carta-convite, indicaram até cinco profissionais para participar do Programa de Capacitação. Os currículos foram analisados a partir de critérios como experiência em práticas sustentáveis, tecnologias sociais, agricultura familiar e organizações associativas, além da sua inserção nas cinco microrregiões prioritárias. Os extensionistas selecionados atuam em 37 municípios nos estados de Pernambuco, Bahia, Piauí, Alagoas e Sergipe.

“Poderemos contribuir com a formação de extensionistas de cinco estados do Nordeste, na região semiárida, na perspectiva de que possam melhorar as práticas de uso da terra e do manejo florestal do bioma caatinga, a fim de promover o desenvolvimento rural sustentável, reduzir a pobreza, conservar a biodiversidade e melhorar a qualidade de vida da população e do planeta”, destaca a pró-reitora da Extensão da Univasf, professora Lucia Marisy.

Ela informa que o curso terá outras duas turmas, contribuindo para a formação de 375 profissionais, no total. Lucia Marisy ressalta que o curso deixará um legado para a preservação do bioma caatinga e de toda a Região Nordeste. “Cada um desses extensionistas será replicador das Tecnologias ABC – Agricultura de Baixo Carbono e junto com essa socialização estarão nossos docentes, técnicos e a nossa instituição como executora dessa importante ação”, pontua.

PRS Caatinga – O Projeto Rural Sustentável Caatinga é uma iniciativa com recursos do Financiamento Internacional para o Clima do Governo do Reino Unido em cooperação com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), tendo o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) como beneficiário institucional. A execução do PRS Caatinga é realizada pela Fundação Brasileira para o Desenvolvimento Sustentável (FBDS).