PRS Caatinga promoverá mesa redonda sobre agricultura de baixo carbono e combate à desertificação

Patrisia Ciancio | 16 de junho de 2021

Conhecimento local acumulado sobre a convivência com o semiárido pode contribuir decisivamente a agenda climática global

A desertificação ameaça a Caatinga, bioma exclusivamente brasileiro que cobre 10% do território nacional e abastece 27 milhões de brasileiros com alimentos oriundos da agricultura familiar. Para debater alternativas sustentáveis, que unem a produção de alimentos com a conservação de solos agrícolas, o Projeto Rural Sustentável Caatinga (PRS Caatinga) promoverá uma mesa redonda no Dia Mundial de Combate à Desertificação. O evento acontecerá no dia 17 de julho, às 16h, transmitido pelos canais PRS Caatinga e RTV Caatinga no YouTube.

O PRS Caatinga é uma cooperação técnica entre os governos do Brasil e do Reino Unido, tendo o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) como agente financeiro. Em 2021, o Dia de Combate à Desertificação se articula com a pauta da Década da Restauração de Ecossistemas (2021-2030) e enfatiza a necessidade de transformar terras degradadas em terras saudáveis.

Segundo Pedro Leitão, Diretor do PRS Caatinga, o acúmulo de conhecimento dos territórios da Caatinga para a convivência com o semiárido podem contribuir decisivamente com a agenda climática global. No entanto, na opinião de Leitão, esse conhecimento é pouco divulgado e valorizado, inclusive entre brasileiros.
“Quase 50% das áreas de produção alimentar estão localizadas em regiões áridas, semiáridas e subúmidas secas do planeta, onde vivem 800 milhões de pessoas. Esses números reforçam a importância da Caatinga e da agricultura familiar como um laboratório de inovações e de produção de alimentos em uma região com variabilidade climática e escassez de água”, disse Leitão.

O diretor complementa ainda ressaltando o Dia de Combate à Desertificação como uma oportunidade:

– As inovações da Caatinga representam um conhecimento valioso para o resto do planeta, que começa a experimentar situações semelhantes, causadas pelas mudanças climáticas. O Dia de Combate à Desertificação é uma oportunidade para trazer à tona cenários, debates e soluções desenvolvidas na Caatinga e que podem contribuir na agenda climática global, na formulação de políticas e na atuação da sociedade civil organizada – afirmou Pedro Leitão, diretor do PRS Caatinga.

Programação:

Abertura: O ABC+ e seus projetos componentes
Fabiana Villa Alves, Coordenadora-Geral de Mudanças Climáticas, Florestas Plantadas e Agropecuária Conservacionista, MAPA⠀⠀⠀⠀⠀

PRS Caatinga: uma ação estratégica para o bioma
Pedro Leitão, Diretor, PRS Caatinga

Recuperação de áreas degradadas e a adoção do ILPF na Caatinga
Salete Alves de Moraes, Pesquisadora da Embrapa Semiárido.⠀⠀⠀⠀

Programas regionais de combate à desertificação implementados e sinergias  futuras com a iniciativa “Solos Vivos”
Gertjan Beekman, Coordenador de Recursos Naturais e Adaptação às Mudanças Climáticas, IICA

Caatinga na agenda global de combate à desertificação: a adoção da agricultura de baixo carbono pela sociedade civil
Alexandre Pires, Articulação Semiárido Brasileiro (ASA)

Gestão sustentável dos recursos florestais da Caatinga
Gustavo Bediaga, Coordenador do GT Bioma Caatinga, IBAMA

Moderador: Francisco Campello

 

DIA MUNDIAL DO COMBATE À DESERTIFICAÇÃO
Dia 17/jun, 16h
Transmissão: Canais PRS Caatinga e RTV Caatinga no YouTube
Link: encurtador.com.br/jDLV4