PRS Caatinga participa do 7o Seminário Internacional de Convivência com o Semiárido

prscaatinga | 3 de dezembro de 2020

Projeto apresenta oportunidades para “outros futuros possíveis” e resultados de pesquisa sobre TecABC no bioma Caatinga

O Projeto Rural Sustentável Caatinga participou nesta terça feira, 1o de dezembro, do primeiro dia do 7o Seminário Internacional de Convivência com o Semiárido, realizado pelo Centro Xingó. Anualmente, o seminário promove a formação de pessoas, o aperfeiçoamento de conhecimentos e competências para uma atuação em prol da convivência com o semiárido brasileiro, além de  fomentar a troca de experiências e debater novas formas de interação com as comunidades locais.

Na sessão “O Semiárido em movimento: outros futuros possíveis”, Pedro Leitão, coordenador do PRS Caatinga, dialogou com Suzana Padua (Presidente do Instituto de Pesquisas Ecológicas – Ipê), Marcel Bursztyn (Professor titular do Centro de Desenvolvimento Sustentável da Universidade de Brasília (UnB) e Roberta Roxilene (Coordenadora do Centro Xingó) sobre o papel das organizações da sociedade civil como atores para a convivência com o semiárido.

Em sua fala, Pedro Leitão destacou a convergência entre as crises provocadas pela mudança climática e o aumento da pobreza em escala global, destacando algumas oportunidades para a Caatinga:

  • Conhecimento e pioneirismo em resiliência climática: Os territórios da Caatinga acumulam conhecimentos e tecnologias sociais fundamentais para a mudança climática, especialmente adaptação, já desenvolvidos na  Convivência com o Semiárido.
  • Novas oportunidades pelo alinhamento com lutas globais: Através de maior vínculo com agendas de mudanças climáticas, biodiversidade, desertificação, justiça ambiental e justiça social.
  • Promoção de uma economia a favor da população: A partir da adoção de tecnologias de agricultura de baixo carbono (TecABC) associadas às tecnologias sociais de convivência e o potencial econômico da exploração de recursos abundantes como luz e vento.

Apresentação de resultados de pesquisa

Dois trabalhos científicos, resultantes de pesquisa realizada no no âmbito do PRS Caatinga, foram aprovados e constam na programação do seminário. O primeiro deles é “A Inserção de Tecnologias Agrícolas de Baixo Carbono (TecABC) na Caatinga”, no qual as autoras apresentam resultados de estudo sobre as tecnologias de agricultura de baixo carbono mais indicadas para o bioma e as adequações necessárias, considerando características ambientais e socioeconômicas. A pesquisa partiu de uma revisão bibliográfica, que foi corroborada com entrevistas e questionários on-line com entidades locais entre centros de pesquisa e desenvolvimento, universidades, cooperativas, instituições governamentais e não-governamentais.  Segundo as autoras, as TecABC mais indicadas para a Caatinga são a Integração-Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF), a Fixação Biológica de Nitrogênio (FBN), Manejo Sustentável de Floresta (MSF) e a Recuperação de Áreas Degradadas com Florestas (RAD-F) considerando seu potencial para a recuperação de áreas degradadas e um manejo alimentar de ruminantes e a necessidade de ampliar a resiliência dos sistemas produtivos.

Já o trabalho “A Importância das Tecnologias Agrícolas de Baixo Carbono para a Alimentação de Ruminantes na Caatinga” destaca os benefícios das tecnologias na agropecuária na medida em que proporcionam uma alimentação diversificada para os ruminantes e a manutenção da vegetação nativa que, se bem manejada, evita a perda da biodiversidade e reduz a pressão sobre os recursos naturais.

Ambos os trabalhos são de autoria das consultoras Vanina Zini Antunes de Mattos, Giselle Parno Guimarães e Bruna Guerreiro e pela analista científica do Projeto, Renata da Costa Barreto.