PRS Caatinga e Ser do Sertão criam rede de cooperação para levar TecABC ao interior da Bahia

Patrisia Ciancio | 19 de dezembro de 2022

Tecnologia ILPF e construção de cisternas são investimentos estratégicos para promover sustentabilidade e aumento de renda

O PRS Caatinga e a cooperativa Ser do Sertão estão criando uma rede de cooperação no interior da Bahia para levar a tecnologia agrícola de baixo carbono Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF) às áreas produtivas de 60 famílias nos municípios baianos Nordestina e Queimadas. A iniciativa investe no engajamento dos agricultores familiares e vem construindo parcerias estratégicas com o Sindicato de Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais (SDTR) e o poder público local, por meio das secretarias de Agricultura.

“É importante estarmos todos engajados com essa nova tecnologia”, disse Edielson Moreira, coordenador técnico da Ser do Sertão. Segundo Moreira, além da implantação do ILPF, o Projeto está construindo cisternas para captação e armazenamento de águas das chuvas que viabilizam o aproveitamento e reuso da água. A meta é que esse conjunto de ações sustentáveis amplie em 15% a renda das famílias de agricultores que participam das ações apoiadas pelo PRS Caatinga.

Além do ILPF, propriedade do agricultor Germano Ferreira Nunes em Queimadas, recebeu tanque de ferro-cimento.

“Isso sem tirar o brilho da preocupação com o Meio Ambiente e a redução de gases de efeito estufa que são emitidos por cada propriedade. Já estamos implantando áreas com práticas de baixo carbono. E nos municípios contemplados, fizemos uma rede de entidades para livre circulação de informação e troca de conhecimentos sobre as TecABC”, complementou Moreira.

 

Parceria que rende frutos: produtores falam dos benefícios trazidos pelo Projeto

Juvenaldo, de Nordestina

“O projeto do PRS Caatinga chegou em boa hora com o suporte para a implantação das tecnologias de baixo carbono. Estamos fazendo a plantação de árvores frutíferas para proteção do solo com a planta Palma, e favorecendo ainda o meio ambiente. O meu foco também é fazer plantios que tenham retorno imediato, investindo na plantação de caju, pois a gente aproveita 100% dessa planta. Além de aipim, estou plantando outras espécies para aumentar a nossa renda e também proteger o nosso meio ambiente”, disse o agricultor Juvenaldo Ferreira, de Nordestina (BA).

Roberto de Jesus, Nordestina

“A implantação de baixo carbono na minha propriedade é um grande mistério. No primeiro momento, já teremos a cisterna e o começo de uma horta. Nós já plantamos as fileiras de Palmas, milho e mandioca. Creio que vai dar certo porque o Projeto está dando acompanhamento. E vai nos ajudar a ter mais força e a ganhar o pão de cada dia. Dentro desse Projeto tem acompanhamento técnico, manejo. Os técnicos do PRS Caatinga colocam a mão na massa junto com o agricultor. O irrigamento que está sendo feito, vem para molhar, e água é tudo na vida. Que Deus abençoe vocês grandemente que estão nos acompanhando com sabedoria e entendimento”, enfatizou Roberto de Jesus,agricultor em Nordestina (BA).