PRS Caatinga é apresentado no Alto Médio Canindé no Piauí

Patrícia Lyra | 1 de fevereiro de 2022

PiauíFlora, Obra Kolping e Celta mobilizam aproximadamente 300 pessoas no lançamento do Projeto em três municípios

O PRS Caatinga começou o ano em plena execução. No Piauí, mais precisamente nos municípios de Vera Mendes, Betânia e Curral Novo, o Projeto foi tema de três apresentações organizadas pelas entidades parceiras Associação de Reposição Florestal do Estado do Piauí – PiauíFlora, Obra KolpingCentro de Estudos Ligados à Técnicas Alternativas (CELTA) no mês de janeiro.

A PiauíFlora promoveu no dia 14 de janeiro uma apresentação no auditório da prefeitura de Vera Mendes, com a presença dos prefeitos de Vera Mendes e Aroazes, de representantes da Secretaria Estadual da Agricultura Familiar (SAF), Senar- PI, Embrapa Meio Norte, do presidente do Poder Legislativo de Vera Mendes, câmaras setoriais, CONAB, associações de produtores, curso de agronomia da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), entre outros convidados. Na semana seguinte, a Obra Kolping e CELTA promoveram dois encontros nos municípios de Betânia e de Curral Novo no auditório do Sindicato dos Trabalhadores Rurais. O evento contou com a presença das famílias de agricultores e de autoridades locais como Prefeitos, Vice-prefeitos, Secretários Municipal de Agricultura e Meio Ambiente, além de representantes da Secretaria de Agricultura do Estado do Piauí, Emater-PI, do Sindicato dos Trabalhadores Rurais e da imprensa.

 

Apresentação do PRS Caatinga em Betânia foi organizada pela Obra Koliping e CELTA

 

Segundo o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Betânia, Luís Rodrigues (na foto, primeiro da direita para esquerda), um projeto como o PRS Caatinga, sendo bem trabalhado, traz melhorias não só para os produtores rurais, que devem receber esses ensinamentos com muito orgulho, mas também para os municípios que sofrem muito com a falta de água. “Nessa região trabalhamos muito com ovino e caprinocultura, então aprendemos tecnologias que trabalhem com armazenamento de água, ração para os animais com a produção de palma, entre outras, é importante tanto para quem está recebendo o aprendizado como para quem está passando. Esse Projeto tem muita importância para o território”, destacou Rodrigues.

Os eventos reuniram cerca de 300 pessoas – entre autoridades locais, assistentes técnicos extensionistas e famílias de produtores rurais que irão implantar tecnologias agrícolas de baixa emissão de carbono, também conhecidas como TecABC. O público teve a oportunidade de conhecer o Projeto, suas metas e objetivos, como a redução das emissões de gases de efeito estufa, o combate à pobreza e, ainda, o aumento de renda de pequenos e médios produtores e produtoras rurais na Caatinga. Uma parte da plateia era composta de alunos do curso de especialização oferecido pelo PRS Caatinga em parceria com a Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF) e que está qualificando mais de 600 especialistas em tecnologias de baixo carbono no semiárido.

 

Recepção do PRS Caatinga nos municípios é positiva

O PRS Caatinga vem sendo recebido de forma muito positiva no Estado do Piauí. O Pesquisador da Embrapa Meio Norte, diretor técnico da Secretaria Estadual da Agricultura Familiar do Piauí e coordenador do PRORENDA Francisco Guedes (na primeira foto, de camisa vermelha) fez questão de agradecer a Fundação Brasileira para o Desenvolvimento Sustentável (FBDS) pela oportunidade, destacando a qualificação de técnicos por meio do Programa de Capacitação em Tecnologias Agrícolas de Baixo Carbono em parceria com a Universidade Federal do Vale do São Francisco. E enfatizou, “Como gestor público do Estado do Piauí reforço a grande importância o PRS Caatinga nos municípios do semiárido piauiense onde está promovendo a implantação de tecnologias sustentáveis que contribuem para a redução das mudanças climáticas no bioma Caatinga e a melhoria na renda de famílias agricultoras, impactando positivamente com o IDH da nossa região”, acrescentou Guedes.

 

Apresentação em Betânia foi promovida pela PiauíFlora

 

Organizações investem na agricultura familiar

Na região do Alto Médio Canindé, oito entidades foram selecionadas para receber apoio do PRS Caatinga. A Associação de Reposição Florestal do Estado do Piauí (PiauíFlora) desenvolverá a criação de uma cooperativa de apicultores para fortalecer a meliponicultura (criação racional de abelhas sem ferrão) – prática antiga dos povos nativos da América Latina, especialmente no Brasil e México. A organização ainda trabalhará, como atividades secundárias, a fruticultura, a ovinocaprinocultura e o manejo florestal. A ideia é estimular a adoção de práticas sustentáveis entre as comunidades rurais e estabelecer metas alinhadas aos princípios de conservação e reposição de espécies nos seus habitats naturais.

Outra organização contemplada é a Obra Kolping, que irá trabalhar com 90 famílias de agricultores na produção de mudas nativas e alimentos em quintais produtivos, fortalecendo a horticultura, avicultura, fruticultura e a minhocultura na região. Entre as metas da organização estão a recuperação de 20 hectares de áreas degradadas com plantas nativas e de 20 hectares de área preservada.

Já o Centro de Estudos Ligados à Técnicas Alternativas – CELTA irá desenvolver ações na região de Betânia do Piauí no setor da ovinocaprinocultura. Entre as suas metas estão o manejo de dejetos de animais com a construção de três biodigestores, a recuperação de 50 hectares de pastagens e o manejo sustentável de 50 hectares de Caatinga.

 

Metas do PRS Caatinga

O PiauíFlora, Obra Kolping e CELTA são três das 20 organizações apoiadas pelo PRS Caatinga no semiárido. Juntas, elas irão mobilizar cerca de 1,5 mil produtores rurais, evitar a emissão de 20 mil toneladas de CO2, ampliar em 15% a renda familiar dos produtores e produtoras rurais, entre outras metas.