PRS Caatinga divulga TecABC na 39ª Expo Bacia Leiteira, maior evento agropecuário de Alagoas

Patrícia Lyra e Anne Clinio | 23 de setembro de 2022

Programação contou com dia de campo, debates e o inicio da circulação da moeda social Caatinga

A 39ª Expo Bacia Leiteira, maior evento agropecuário de Alagoas, aconteceu entre os dias 14 a 17 de setembro no município de Batalha, e contou com uma programação extensa promovida pelo Projeto Rural Sustentável Caatinga e quatro organizações parceiras no estado. Juntos, o Fundo Nacional de Permanência na Terra (Funpet), o Instituto Irmã Doroty (IRDA), o Serviço de Tecnologia Alternativa (Serta) e o Instituto Terraviva promoveram diversas iniciativas para divulgar as TecABC entre um público estimado de 20 mil pessoas.

A primeira atividade foi uma mesa de debate composta pelo prefeito de Batalha, Wagner Dantas, a secretária de Estado da Agricultura, Pecuária, Pesca e Aquicultura – SEAGRI, Aline Melo. O PRS Caatinga e quatro entidades apoiadas pelo Projeto em Alagoas. Na sua fala, Campello destacou as possibilidades de contribuição do Projeto para o segmento de produção de leite. “Nossa participação levou aos presentes a mensagem  de que podemos produzir e qualificar a produção de leite da região, associando ao conceito de uma produção regenerativa de baixo carbono sustentável”, comentou o coordenador.

 

Da esquerda para a direita: Aline Melo, coordenadora do Serviço de Tecnologia Alternativa – Serta, Francisco Campello, coordenador regional do PRS Caatinga,  Aline Melo, secretária de Estado da Agricultura, Pecuária, Pesca e Aquicultura – SEAGRI, Adriano Ferreira, coordenador do Fundo Nacional de Permanência na Terra (Funpet), Wagner Dantas, prefeito de Batalha, Suelzir Eugênio, coordenador do Instituto Irmã Doroty (IRDA), Ricardo Ramalho, coordenador do Instituto Terraviva

 

Governo do estado de Alagoas pretende tornar TecABC em política pública

O governador de Alagoas, Paulo Dantas, participou da entrega da placa de sinalização da Unidade Demonstrativa da comunidade quilombola Cajá do Negros, que reúne 30 famílias. Para o governador, o PRS Caatinga, através do Funpet, vem realizando um papel pioneiro nas discussões que envolvem sustentabilidade de maneira casada com o desenvolvimento econômico na bacia leiteira. “Essa iniciativa é de grande importância para a agricultura regenerativa da bacia leiteira, pois além de ser uma pauta que engloba o cuidado com a preservação da Caatinga, também traz desenvolvimento para a economia local, com uso da moeda social Caatinga e a possibilidade de se trabalhar com crédito de carbono”, afirmou o governador.

O governador manifestou ainda o interesse do estado em ceder a área do Parque de Exposições Mair Amaral, onde o Funpet já trabalha há anos, para se tornar uma Unidade Demonstrativa e abrigar práticas e estudos sobre a agricultura de baixo carbono. Atualmente, o parque de exposições já conta com uma área dedicada a Integração Lavoura Pecuária Floresta (ILPF) implementada pelo Fundo de Permanência na Terra. A proposta de Dantas é que as TecABC se tornem uma política pública do estado de Alagoas. Por isso, a Emater deve iniciar um processo de capacitação dos seus técnicos para disseminar as TecABC a partir das ações e da experiência acumulada pelo Funpet no âmbito do PRS Caatinga.

 

Moeda social Caatinga circulou durante a exposição

Os convidados da mesa prestigiaram o espaço organizado pelo Funpet para difundir as TecABCs e iniciativas do Banco Funpet em microcrédito e a moeda social Caatinga. Criada com o objetivo de combater a pobreza ao fortalecer o desenvolvimento local dos municípios de Batalha, Jacaré dos Homens, Jaramataia e Major Isidoro, a moeda Caatinga foi aceita durante a exposição, e agora passa a ser usada na sua versão digital, a Caatinga e-dinheiro.

Para o coordenador do Funpet, Adriano Ferreira, a circulação da moeda Caatinga em papel, entre outras ações realizadas na feira, são importantes. “A partir do PRS Caatinga, o tema da agricultura de baixo carbono está sendo trazida para os pequenos e médios agricultores e, também incluída e abraçada pelas autoridades em Alagoas.”, comentou.

 

Moeda social Caatinga circulou, em sua versão de papel, durante a exposição