PRS Caatinga debaterá oportunidades e desafios do balanço e mercado de carbono em seminário internacional

Patrícia Lyra | 1 de novembro de 2022

Evento terá mesa redonda, organizada pelo Projeto, que abordará o tema pela perspectiva da agricultura familiar

O PRS Caatinga organiza a mesa redonda “Oportunidades e desafios para o balanço e mercado de Carbono na agricultura familiar da Caatinga” durante o 9º Seminário Internacional de Convivência com o Semiárido, promovido pelo Centro Xingó, nos dias 10 e 11 de novembro, em Piranhas, Alagoas.

A mesa redonda acontece no dia 11 de novembro às 8h com mediação da coordenadora científica, Renata Barreto. Participam da mesa, Diana Signor, da Embrapa Semiárido; Vladimir Oganauskas, da Companhia de Ação Rural e Desenvolvimento – CAR/ Bahia Produtiva; Mariana Oliveira, do World Resources Institute – WRI e Valdirene Oliveira, da Cooperativa Ser do Sertão.

Pedro Leitão

Pedro Leitão, diretor do PRS Caatinga, reconhece que há divergência de opinião sobre as possibilidades econômicas do crédito de carbono, mas que muitos identificam boas perspectivas de retorno econômico para quem invista nessa agenda, principalmente no reflorestamento e restauração florestal.

“A possibilidade de ganho econômico com o crédito de carbono parece não ser unânime, nem de igual possibilidade em todos os casos. Carecem de estudos específicos para setores e circunstâncias particulares, tais como: biomas, dimensões, climas, legislação, tipos de investimento etc. A mesa que estamos organizando durante o seminário abre a discussão sobre esses diferentes cenários, com especial foco na agricultura familiar da Caatinga”, enfatizou Leitão.

A coordenadora científica do PRS Caatinga Renata Barreto, que será mediadora da mesa, também destaca o potencial da economia regenerativa de baixo carbono. “Trazer essa discussão para um evento internacional dentro no próprio bioma, e com a participação de diferentes públicos, é uma oportunidade. Precisamos despertar o interesse e a conscientizar sobre o desafio que temos hoje para sistematizar o uso dessas tecnologias e práticas conservacionistas. Outro desafio é calcular o potencial de redução de emissões de gases de efeito estufa por meio da incorporação e manutenção do carbono no solo nas produções agrícolas de base familiar na Caatinga”.

 

Centro Xingó promove troca de conhecimentos sobre convivência com o semiárido

O seminário, que já está com as inscrições abertas, tem vasta programação, com seis mesas de debate, e trará outros assuntos como: Novas perspectivas no contexto da juventude do Semiárido, Ciência e conhecimento tradicional: dialógica entre o saber e o fazer e a convivência entre gerações nos contextos de clima, adaptação e vulnerabilidade. Nesta edição, haverá apresentações culturais e a “Feira de Saberes e Sabores do Semiárido” com a participação de artesãos e produtores da região.

Após o encontro, o Centro Xingó oferece o 8º Curso Internacional de Convivência com o Semiárido, que acontece de 14 a 18 de novembro e também está com inscrições abertas. O evento é gratuito, mas há a sugestão de contribuição com uma taxa solidária que, este ano, arrecada doações para a Associação Comunitária de Várzea Vermelha da região de Canapi, Alagoas.