Mais sustentabilidade, menos vulnerabilidade – PRS Caatinga se reúne com 20 organizações em cinco estados

Patrisia Ciancio | 26 de setembro de 2021

Evento inicia diálogo com projetos finalistas de uma concorrência para fortalecimento de Arranjos Produtivos Locais (APLs)    

O PRS Caatinga iniciou diálogo com 20 organizações consideradas finalistas de um processo seletivo que está selecionando entidades para fortalecimento de Arranjos Produtivos Locais (APLs)*, em um evento online que aconteceu no dia 23 de setembro. Os projetos selecionados têm um perfil diversificado, com atividades ligadas a temas como segurança alimentar, hídrica e energética, práticas de conservação ambiental, economia solidária, extrativismo sustentável, capacitação de agricultores familiares, entre outros segmentos. A atuação das organizações escolhidas está distribuída em cinco estados: Alagoas, Bahia, Pernambuco, Piauí e Sergipe.    

Para que esse apoio pudesse se materializar, uma das ações do PRS Caatinga foi investir na qualificação de profissionais vinculados a entidades prestadoras de serviço de Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER) em Tecnologias Agrícolas de Baixo Carbono (TecABC). Atualmente, 600 indivíduos estão participando do curso de especialização em TecABC, coordenado pela Universidade do Vale do São Francisco (Univasf). Parte desse grupo é formada por profissionais técnicos que irão apoiar os produtores na implementação de uma agricultura resiliente, dialogando com saberes locais e tecnologias sociais de convivência com o semiárido. 

– Em outubro, o Programa de Capacitação está iniciando as aulas práticas e esses 600 alunos irão a campo. Enquanto o processo formativo é finalizado na Univasf, nós estamos trabalhando com as entidades em um levantamento de informações. A ideia é que a partir deste primeiro diagnóstico, possamos fazer ajustes nas propostas iniciais e elaborar um plano de trabalho. Com a parceria firmada, em breve os ATER começarão a assessorar os APLs -, comentou Leitão. 

 

Maior acesso ao crédito e formação de rede

O PRS Caatinga apoiará ainda o fortalecimento da infraestrutura das organizações através da aquisição de bens de uso coletivo e ações que promovam melhor gestão das instituições para facilitar o acesso ao crédito. 

“Também iremos atuar para facilitar o acesso a mercados. As propostas que tiverem um produto com potencial de alçar voos mais altos, mercados mais amplos, serão trabalhadas com ênfase”, destacou Leitão. 

– A partir do conjunto de propostas, vamos alcançar juntos as metas do PRS Caatinga e o objetivo climático de reduzir as emissões de Gases de Efeito Estufa. Com todas essas ações coordenadas, pretendemos melhorar o nível de renda dos produtores que estejam envolvidos nessa rede de apoio. As práticas sustentáveis preservam o meio ambiente, mantêm o equilíbrio ecológico e reduzem as vulnerabilidades que impactam diretamente nas atividades agropecuárias -, concluiu o diretor.  

 

Histórico da iniciativa

As 20 organizações consideradas finalistas são resultado de um processo seletivo, iniciado em fevereiro de 2020. Elas foram pré-selecionadas a partir dos estudos realizados pelo Projeto ao longo de 2020, cujos resultados foram sistematizados na coletânea “Cadernos PRS Caatinga” e estão disponíveis no site. As organizações foram ainda referendadas pelo Comitê Técnico Territorial (CTT) do Projeto. Das 95 organizações convidadas, 43 manifestaram interesse em participar do processo e enviaram propostas que foram avaliadas por uma comissão técnica especialmente criada para esse fim.  

As principais atividades produtivas das 20 organizações finalistas são a produção de mel, frutas, carne ovina e caprinocultura leiteira. As suas maiores dificuldades são justamente a questão de acesso a mercados e outras demandas como a formulação de produtos, embalagem e rotulagem, beneficiamento, comercialização, marketing digital, entre outras. 

 

Confira a lista das 20 organizações   

ALAGOAS (4)

  1. Fundo de Permanência na Terra – FUNPET
  2. Instituto Terraviva
  3. Instituto Irmã Dorothy – IRDA
  4. Serviço de Tecnologia Alternativa – SERTA

BAHIA (4)

  1. Associação Comunitária Terra Sertaneja – ACOTERRA 
  2. Assessoria e Gestão em Estudos da Natureza, Desenvolvimento Humano e Agroecologia – AGENDHA
  3. Associação Regional dos Grupos Solidários de Geração de Renda – ARESOL 
  4. Cooperativa Ser do Sertão – COOPSERTÃO

PERNAMBUCO (3) 

  1. Associação dos/as Agricultores/as Familiares da Serra dos Paus Dóias – AGRODÓIA  
  2. Centro de Assessoria e Apoio aos Trabalhadores e Instituições Não Governamentais Alternativas – CAATINGA 
  3. Fundação Araripe

 PIAUÍ (7)

  1.   Associação de Pequenos Produtores da Comunidade Carnaíbas
  2. Centro Educacional São Francisco de Assis – CEFAS 
  3. Centro de Estudos Ligados à Técnicas Alternativas – CELTA
  4. Cooperativa Mista dos Apicultores da Microrregião de Simplício Mendes   COMAPI
  5. Cooperativa de Trabalho de Prestação de Serviços para o Desenvolvimento Rural da Agricultura Familiar – COOTAPI
  6. Fundação Dom Edilberto Dinkelborg – FUNDED 
  7. Obra Kolping  
  8. PIAUIFLORA 

 SERGIPE (1)

  1. Centro de Assessoria e Serviços Aos/as Trabalhadores/as Da Terra Dom José Brandão de Castro – CDJBC