Exu tem lançamento do PRS Caatinga na região do Araripe

Patrícia Lyra | 11 de fevereiro de 2022

Entidades parceiras do PRS Caatinga fazem lançamento do projeto marcando o início dos trabalhos na região

No último dia 3 de fevereiro, às entidades parceiras do Projeto Rural Sustentável Caatinga no estado de Pernambuco, Agrodóia, Centro Caatinga e Fundação Araripe se reuniram com o Conselho de Desenvolvimento de Exu e apresentaram a iniciativa para cerca de 80 participantes. A programação do evento contou ainda com troca de sementes entre os coordenadores de associações e a apresentação do Crédito Fundiário pela Organização Diamantina. Entre os presentes estavam o vice prefeito e o secretário de agricultura de Exu, os coordenadores/as de associações rurais de comunidades vizinhas e representantes do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Exu, Conselho de Desenvolvimento de Exu, Instituto Agronômico de Pernambuco-IPA, e das instituições Diamantina e Chapada.

O Projeto traz para o semiárido as Tecnologias Agrícolas de Baixa Emissão de Carbono (TecABC) já utilizadas positivamente em outros biomas e agora adaptadas à realidade da Caatinga. Em Pernambuco, o PRS Caatinga será executado nos Territórios do Araripe, nos municípios de Exu, Moreilândia, Santa Filomena e Santa Cruz com a participação efetiva das associações da região.

 

Entidades parceiras comentam as iniciativas em Pernambuco

 

Vilmar Lermen, da Agrodoia

As três instituições optaram por trabalhar em conjunto como estratégia para fortalecer as atividades sustentáveis da região e agregar valor e conhecimento aos três Arranjos Produtivos Locais que estão trabalhando.

A Agrodóia atua na produção agropecuária e agroflorestal agroecológica com beneficiamento e comercialização de frutas e frutos, , promovendo a difusão de conhecimento através de cursos e intercâmbios e pesquisas de novas tecnologias para a convivência com o Semiárido. Vilmar Lermen, coordenador da Agrodóia reforça a importância do projeto na região.

“O PRS Caatinga para nós é fundamental em vários aspectos, pois proporciona ações nas comunidades do semiárido iniciativas com princípios sustentáveis. Então o lançamento oficial, com a presença de tantos parceiros fundamentais, foi excelente para o começo da execução do projeto, nos municípios do bioma Caatinga que vão desenvolver atividades viáveis economicamente, utilizando as TecABC, como estamos fazendo em nossos sistemas agroflorestais.” falou Lermen.

 

 

 

Ariagildo Vieira, do Caatinga

Já a agricultura familiar de base agroecológica é o foco da da ONG Caatinga, que reconhece os atributos de sustentabilidade, multifuncionalidade e diversidade de suas práticas. O destaque fica para as atividades produtivas, como: animais, vegetais, produtos da caatinga/extrativismo e também os produtos processado-beneficiados, que resultam em doces, geleias, licores, óleos essências, xaropes e lambedores.

Para o coordenador da ONG Caatinga, Ariagildo Vieira, a inserção do projeto no Território do Araripe é uma iniciativa extremamente importante para o avanço do desenvolvimento sustentável na região. “O Projeto dará uma nova dinâmica nas experiências agroecológicas e nas quatro unidades demonstrativas que iremos implantar e que chamamos de unidades de aprendizagem. Nelas, iremos implantar as TecABC no plantio do algodão em consórcios agroecológicos com 120 famílias, que receberão toda a assistência técnica necessária de modo que o resultado do PRS seja gerar renda e uma melhor qualidade de vida para essas pessoas”, acrescentou Ariagildo.

 

 

 

Alinne Freire, da Fundação Araripe

Evitar o desmatamento, fortalecendo a conservação e uso sustentável da Caatinga é o principal objetivo das inúmeras atividades que serão desenvolvidas pela Fundação Araripe. As práticas que resultam em uma melhor convivência com o semiárido – , como a conservação da biodiversidade do solo, da água – promovem segurança alimentar e bem-estar dos animais e das famílias são alguns dos resultados esperados ao longo do desenvolvimento do Projeto Rural Sustentável Caatinga na região do Araripe.

De acordo com a coordenadora técnica da Fundação Araripe Alinne Freire o evento de apresentação do PRS Caatinga na região Araripina foi de suma importância para o estreitamento das relações entre as entidades parceiras e as famílias agricultoras e produtoras dessa localidade. “Esses encontros são ações de comunicação e difusão do PRS Caatinga, que criam as bases para a expansão do seu alcance e sensibilização de famílias. Os agricultores poderão fazer usos múltiplos da Caatinga, englobando a implantação de sistemas de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta apoiado por uma assistência técnica com foco e percepção sobre a relação entre a sustentabilidade e as tecnologias de baixo carbono” acrescentou Alinne.